Brasil: A República Nacional-Estatista

somentehistoria

 Vargas e o Governo Provisório

    A Revolução de 1930 foi um movimento onde grupos políticos do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraíba se uniram a oficiais do Exército para destruir Washington Luís da presidência da República. O movimento foi vitorioso e teve um de seus líderes, Getúlio Vargas, no poder como chefe do Governo Provisório. A Constituição de 1891 foi revogada e os governantes dos estados substituídos por interventores. O Congresso Nacional, as assembleias legislativas e as câmaras de vereadores foram fechadas. E Getúlio Vargas começou a governar por meio de decretos.

    A situação no Brasil não era fácil, sobretudo diante dos efeitos da crise econômica de 1929, o que acarretou uma vertiginosa do preço do café no mercado internacional, tendo em vista que, a economia brasileira dependia do café, a primeira medida foi evitar o colapso generalizado desse setor. Com isso, o…

Ver o post original 1.700 mais palavras

Anúncios

Uma Biografia feita por um ex-escravo.

Time Machine

Já havíamos citado antes um trecho da biografia de Mahommah Baquaqua, no post Relatos de um escravo em um navio negreiro indo em direção ao Novo Mundo.,

A seguir veja um outro trecho:

“Que aqueles ‘indivíduos humanitários’ que são a favor da escravidão se coloquem no lugar do escravo no porão barulhento de um navio negreiro, apenas por uma viagem da África à América, sem sequer experimentar mais que isso dos horrores da escravidão: se não saírem abolicionistas convictos, então não tenho mais nada a dizer a favor da abolição.”

As palavras são de Mahommah Gardo Baquaqua, ex-escravo nascido no Norte da África no início do século XIX e que trabalhou no Brasil antes de fugir das amarras da servidão em Nova York, em 1847

Baquaqua ditou a história de sua vida para o escritor Samuel Moore, que atuou como revisor e editor. O relato inclui o primeiro período como…

Ver o post original 139 mais palavras

Castro Alves: A canção do africano

Historicamente Atualizados

A canção do africano

Lá na úmida senzala,
Sentado na estreita sala,
Junto ao braseiro, no chão,
Entoa o escravo o seu canto,
E ao cantar correm-lhe em pranto
Saudades do seu torrão…

De um lado, uma negra escrava
Os olhos no filho crava,
Que tem no colo a embalar…
E à meia voz lá responde
Ao canto, e o filhinho esconde,
Talvez pra não o escutar!

“Minha terra é lá bem longe,
Das bandas de onde o sol vem;
Esta terra é mais bonita,
Mas à outra eu quero bem!

“0 sol faz lá tudo em fogo,
Faz em brasa toda a areia;
Ninguém sabe como é belo
Ver de tarde a papa-ceia!

“Aquelas terras tão grandes,
Tão compridas como o mar,
Com suas poucas palmeiras
Dão vontade de pensar …

“Lá todos vivem felizes,
Todos dançam no terreiro;
A gente lá não se vende
Como aqui, só por…

Ver o post original 216 mais palavras

#PesquisafazHistória

Além das músicas citadas anteriormente, vemos atualmente uma série de filmes que retratam a vida das pessoas durante a ditadura militar no Brasil. Nestes longas, desvendam-se os personagens, fatos e consequências do golpe militar, que durou 21 anos. Aqui destacamos seis filmes que apresentam de maneira sólida o retrato da ditadura no nosso país:

  1. Manhã cinzenta (1968): Esse, se passa numa ditadura latino-americana, na ficção um casal é preso durante uma passeata e posteriormente tordurado e interrogado por um robô. Na época, a ditadura tirou o filme de circulação, porém ainda uma cópia dele sobreviveu e ela mostra coragem que o produtor teve em apresentá-lo na época. O autor morreu em 1978, após várias sessões de tortura.
  2. Nunca fomos tão felizes (1984): O filme passado no último ano do período militar retrata o reencontro entre um pai e seu filho, após oito anos. O pai passou anos numa prisão e…

Ver o post original 240 mais palavras

República Oligárquica no Brasil

Retrospecta

No Brasil, o período é identificado quando as oligarquias rurais dominavam o cenário político brasileiro. Normalmente, os presidentes eleitos eram do Partido Republicano Paulista (PRP), do Partido Republicano Mineiro (PRM). Esta prática era denominada política do café-com-leite em alusão as maiores riquezas geradas por estes dois estados.

Ver o post original 213 mais palavras

Guerra de Canudos – o filme: um pouco da história

História em foco

O filme “Guerra de Canudos” retrata com fidelidade e de forma clara os acontecimentos referentes a um episódio real da história brasileira: A guerra de canudos. O filme ambienta-se no período republicano de nossa história, mais precisamente, nos anos de 1996 e 1997 e seus acontecimentos se passam no sertão baiano.

O clima seco do sertão, a miséria na qual a população local estava mergulhada e o descaso por parte da república com esta situação de miséria estão sempre em evidência no filme. Estas duas últimas características estão sempre sendo reforçadas por Antônio Conselheiro (beato que percorria o sertão pregando e o personagem mais importante da história real) e por seus seguidores, entre eles, uma família sertaneja pobre a qual o filme dá uma maior atenção.

É neste contexto explicado anteriormente por três fatores que a história se desenvolve. Antônio Conselheiro começa a pregar pelo sertão a palavra de Deus…

Ver o post original 392 mais palavras

O significado da Proclamação da República

historiapracontarblog

Ao se analisar a passagem do regime monárquico para o republicano, percebe-se que o fim do governo de Dom Pedro II não gerou mudanças profundas na sociedade do período, além de gerar alguns conflitos. Toda via, a proclamação foi consequência de um governo que não mais possuía base de sustentação política e não contou com intensa participação popular. O povo assistiu a tudo bestializado.

Em torno dessa realidade histórica, a literatura tem o poder de construir o período aqui mencionado de maneira provocadora e desveladora. O escritor Murilo Mendes ilustra por meio do seu poema “Quinze de Novembro” como se deu a Primeira República.

Imagem relacionada

Assim, ele diz:

“Deodoro todo nos trinques

Bate na porta de Dão Pedro Segundo.

“- Seu imperadô, dê o fora

que nós queremos tomar conta desta bugiganga.

Mande vir os músicos.”

O imperador bocejando responde

“Pois não meus filhos não se vexem

me deixem calçar as chinelas

podem…

Ver o post original 99 mais palavras

Toque Feminino

Historicamente Atualizados

Resultado de imagem para negra de tabuleiro

Ainda no mesmo contexto da América escravista, podemos citar diversas curiosidades, em especial as negras de tabuleiro. As mãos femininas nos séculos XVII e XVIII desempenhavam um papel crucial, principalmente no comércio de produtos baixo custo (farinhas, sucos cachaças, doces, etc.), onde traziam uma grande influência para a economia colonial

  Mas quem eram as negras de tabuleiro? Podemos dizer que eram na maioria das vezes escravas de origem africana. que buscavam pela sua independência e liberdade. Muitos alimentos que conhecemos hoje, foram trazidos por essas mulheres e comercializados em lavras auríferas (lugar onde se buscava ouro) e nos que eram chamados de quitandas, vendiam também nos arrais e vilas.

  Embora, as vendas não as proporcionavam uma boa renda externa, pois seus senhores predeterminavam um a certa quantia a ser compartilhada por elas, que muitas das vezes não davam conta, com suas jornadas semanais de trabalho de suprir a…

Ver o post original 129 mais palavras

Ainda Sobre os Navios Negreiros…

Time Machine

Dando continuidade a postagem Relatos de um escravo em um navio negreiro indo em direção ao Novo Mundo., completaremos falando mais dos navios negreiros.

Com o comércio de seres humanos, um novo setor do tráfico mercantil. As proas dos navios negreiros voltam-se com toda força para o novo continente.Mal alimentados e vitimados pelas epidemias que grassavam a bordo dos navios, os negros morriam com facilidade. Nos porões, aglomeravam-se de trezentas a quinhentas pessoas para uma viagem que leva de trinta a cinqüenta dias. Com freqüência, 10% a 20% das peças não chegavam a seu destino. O tráfico negreiro para o Brasil foi intenso até 1850, quando acabou sendo suspenso após uma longa polêmica com a Inglaterra.

Embarcados à força e aprisionados em porões acanhados, que mal davam para que permanecessem sentados, os africanos eram mantidos nus, separados por sexo, sendo que os homens permaneciam acorrentados. Por vezes era permitido que…

Ver o post original 114 mais palavras

Conexão Brasil x África

Mundo da História

Esta semana foi trabalhado na aula de História II o texto “O Brasil, a África e o Atlântico no século XIX”, um texto de Alberto da Costa e Silva que retrata um pouco da África naquela época e suas conexões e influências no Brasil e Europa.

O texto retrata a África durante o período dos Tráficos Negreiros, onde existiam guerras internas e diversos conflitos em reinos que resultava na transferência de negros como escravos para a costa atlântica do continente.

Até o último quartel do século XIX, a presença européia na África reduzia-se a poucos pontos litorâneos. Em toda a sua grande extensão, a África era governada por africanos. O continente dividia-se em impérios, reinos e cidades-estado. Do lado do Atlântico, havia intensas relações entre essas estruturas políticas e o Brasil. O que se passava num lado do oceano repercutia no outro. A cruzada anti-escravagista desembocou num novo imperialismo europeu…

Ver o post original 128 mais palavras