Do Brasil Escola: Batalha de Verdun – 1916

Para conhecer o site Brasil Escola, clique aqui.

 

 

A Primeira Guerra Mundial, ocorrida entre 1914 e 1918, foi um dos conflitos mais mortíferos da história da humanidade. Dentre os momentos e locais em que mais pessoas morreram está a Batalha de Verdun, travada por alemães e franceses durante 10 meses, causando mais de 600 mil mortes.

O campo de batalha localizava-se próximo à cidade de Verdun, às margens do Rio Meuse, no nordeste da França. Os alemães eram comandados pelo general Erich von Falkenhayn, que iniciou os ataques de artilharia e bombardeios em 21 de fevereiro. Do lado francês, estava comandando as tropas que resistiam às investidas alemãs o general Philippe Pétain.

Os alemães conseguiram importantes vitórias no início da batalha, principalmente com os fortes bombardeios efetuados principalmente sobre as trincheiras francesas. Porém, a entrada de Pétain no comando das tropas franceses representou o fortalecimento da resistência dos franceses às investidas alemãs. Com o lema “Não Passarão”, os franceses adotaram uma tática de rotatividade de tropas nos fortes e trincheiras, pretendendo, dessa forma, diminuir o cansaço dos soldados e os efeitos nocivos à moral de luta decorrentes dos longos períodos parados em um mesmo local. Essa forma de batalha ficou conhecida como sistema Noria, que teve como um de seus iniciadores, ao lado de Pétain, o general Charles Nivelle.

Cemitério em Verdun, em homenagem aos mortos na batalha
Cemitério em Verdun, em homenagem aos mortos na batalha

Construíram ainda uma estrada que ligava Verdun à retaguarda, garantindo o fornecimento de mantimentos e suprimentos bélicos. A estrada foi denominada Voie Sacrée, a Via Sagrada, por onde passaram cerca de 12 mil veículos, 50 mil toneladas de alimentos e 2 milhões de soldados.

Os bombardeios alemães dificultaram ainda mais o desenvolvimento da batalha, em decorrência da grande quantidade de crateras criadas no campo. Somavam-se a isso a chuva e a neve que caíram durante os longos meses de batalha, transformando o local em um imenso lodaçal. Os combates se deram tanto com a utilização de bombas de gases tóxicos, por parte dos alemães, quanto em confrontos corpo a corpo entre os soldados.

A guerra de trincheiras levou também ao acúmulo de centenas de milhares de corpos no campo de batalha. Os ataques com bombas revolviam a terra trazendo à superfície os corpos enterrados. O cheiro decorrente da putrefação dos corpos, aliado à falta de higiene nas latrinas e fortes, levou os soldados a colocarem dentes de alho em suas narinas quando tinham que construir novas trincheiras.

A batalha que se caracterizou pela captura e recaptura de fortificações teve fim em 15 de dezembro, quando os alemães decidiram recuar frente à incapacidade de derrotar os franceses. A resistência dos franceses, aliada às ofensivas britânicas sobre as posições alemãs, iria marcar a derrocada do Segundo Reich na Primeira Guerra Mundial.
Por Tales Pinto
Mestre em História

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s